Há mais de 200 milhões de anos, ainda quando os dinossauros gigantes andavam pela Terra, surgiram as plantas produtoras de sementes. Desde aquela época que as outras formas de reprodução dos vegetais foram cedendo lugar mais e mais para as sementes, com estruturas mais complexas chamadas pelos botânicos de Gymnospermas e Angiospermas (“Sperma”=semente Gymno=nu e Angio=urna). Ou seja, podem nascer “nuas” ou dentro de urnas ou invólucros. Este modo de se reproduzir deu certo e hoje as sementes ocupam a maior parte do globo terrestre!
Assim, para os botânicos, um fruto com semente é um ovário que contém o óvulo fecundado

! O óvulo fecundado ou semente se mantém a espera da oportunidade para se desenvolver. Podem esperar apenas alguns dias até encontrar as condições ideais enquanto outras podem esperar anos! As sementes então carregam este “embrião, germe ou pólo germinativo”, com um projeto de raiz (radícula) e de caule, revestido de proteção (que contém um inseticida natural) e reservas de alimento que vão alimentar a planta nova até que ela possa buscar por conta própria. É uma planta em seu limite mínimo de manutenção da vida, pronta para beber a água e desenvolver suas potencialidades. Para ela, germinar significa inverter da dormência para o despertar! Um processo que sai do consumo mínimo de energia para a explosão máxima. Mas, enquanto aguarda, utiliza sua força para esperar, mantendo-se no metabolismo mínimo, basal.
Mas como são formadas as novas sementes? Nas plantas que produzem sementes, os órgãos reprodutores femininos são desenhados pela natureza para receber os “micrósporos”, órgão masculino da planta. Os órgãos femininos são compostos de um ou mais óvulos que estão inseridos no ovário, envolvidos pela placenta, que se chama “gineceu”. O órgão masculino, formado pelo conjunto de “estames” onde se localizam os micrósporos se chama de “androceu”. Após a fecundação através da polinização pelo vento, insetos, animais em geral, a flor murcha e permanece o ovário que cresce transformando-se em fruto. Os óvulos agora fecundados são o resultado do encontro das duas células masculino e feminino que irão se transformar em novas sementes.

Comments

comments